Empréstimo consignado sem margem: é possível ou não

A margem consignada é a vantagem e a desvantagem do empréstimo consignado. Ao mesmo tempo em que ela permite que o solicitante não se endivide, ela também restringe o direito ao crédito. Sendo assim, empréstimo consignado sem margem é algo possível?

Primeiramente, é importante entender que a margem consignada é uma das características principais tanto do empréstimo consignado quanto do cartão de crédito consignado. Sendo assim, em um primeiro momento a resposta é não.

Se o crédito consignado não depender da margem consignada, ele já não é um crédito consignado e sim outra modalidade de empréstimo. Portanto, é essencial compreender sobre o que se trata a margem consignada e entender como funciona o empréstimo consignado.

Preparamos esse post para te ajudar a entender como funciona o empréstimo consignado e a margem consignada. Continue a leitura e saiba mais sobre esse tipo de empréstimo!

O que é e para que serve a margem consignada?

A margem consignada é uma porcentagem aplicada ao salário total do mês, ou ao benefício, e que constitui o valor que pode ser gasto em empréstimos. A margem consignada do empréstimo consignado é de 35%, sendo que 5% é direcionado ao cartão de crédito consignado.

Por sua vez, o empréstimo consignado é o tipo de crédito em que as parcelas são debitadas do contracheque ou do benefício. Possui taxas de juros menores e estipuladas por lei, é facilmente contratado, existem menos burocracias no procedimento.

Este tipo de empréstimo é disponibilizado para aposentados, pensionistas do INSS, funcionários públicos federais, estaduais e municipais, militares das forças armadas (incluindo Marinha e Aeronáutica), e funcionários de empresas privadas que possuem convênio com bancos que disponibilizam o serviço.

Desta forma, a margem consignada serve para inibir o endividamento. Uma vez que o valor do empréstimo atinge 30% de sua utilização, não é mais possível solicitar nenhum outro. Por lei, cada solicitante tem o direito a 9 empréstimos.

Limite de contratos por solicitante

No entanto, estes 9 empréstimos devem caber dentro da margem consignada. Por exemplo: se você tem 8 empréstimos consignados ativos e quer fazer um 9 mas a margem consignada acabou, não será possível fazer o empréstimo consignado sem margem, a não ser que você quite um dos empréstimos para que seja liberado o crédito.

O cartão de crédito funciona da mesma forma. 5% do salário é direcionado à utilização do serviço. No entanto, ao completar os 5%, o cartão só poderá ser novamente utilizado se a margem consignada for paga. Isto evita o endividamento por cartão de crédito, algo muito comum no Brasil.

É importante ter em mente que a margem consignada pode diminuir caso haja algum outro débito de origem legal acontecendo no contracheque ou benefício. O débito de Pensão alimentícia, por exemplo, pode fazer com que o valor da margem consignada seja diminuído.

Utilizando a mesma lógica, contribuições esporádicas no salário não fazem com que a margem consignada aumente. O 13º, por exemplo, não tem nenhuma influência no aumento da porcentagem.

Posso contratar um empréstimo consignado sem margem?

Retornando, pois, à pergunta do título, a resposta é que não é possível contratar um empréstimo consignado sem margem consignada. O que é possível fazer é liberar parte da margem e solicitar novo empréstimo. Saiba como:

Refinanciamento

Uma opção para reaver a margem consignada é o refinanciamento, ou seja, trata-se de trocar uma divida por outra. Este procedimento acaba liberando uma nova margem de crédito, uma vez que é possível parcelar em mais vezes.

O novo empréstimo vai contar com uma nova negociação, com uma nova somatória de juros, mais parcelas, e uma margem de crédito nova. No entanto, esta última opção vai depender de quantas parcelas já foram pagas. Quanto maior o valor liberado, maior será a nova margem consignada.

Potabilidade de crédito

A portabilidade de crédito é uma outra opção para quem deseja reaver parte de sua margem consignada. Trata-se de um procedimento em que um outro banco compra a sua dívida, e você passa a ser sua cliente. Sua dívida é renegociada e parcelada mais uma vez.

No entanto, para que seja possível é necessário que você já tenha pago, preferencialmente, a metade da sua dívida com o banco anterior. Senão não compensa, afinal, o valor liberado será pequeno demais.

Uma boa pedida é pesquisar qual é o banco com a menor taxa de juros e fazer a portabilidade. Assim, pode ser que o valor renegociado seja compensativo e que ainda te possibilite um novo limite.

Cartão de crédito consignado

O cartão de crédito consignado tem uma porcentagem de 5% que pode ser utilizado além da margem de empréstimo. Sendo assim, você pode usar o cartão de crédito para complementar a sua margem consignada.

O cartão de crédito consignado tem as menores taxas de juros, e pode ser utilizado para pagar contas, fazer compras parceladas e realizar saques. O cartão é semelhante aos convencionais, mas quando for o momento do pagamento, a parcela será descontada do seu contracheque ou benefício.

As taxas de juros do cartão de crédito consignado não podem ultrapassar 3,0% no caso de aposentados e pensionistas. Sendo assim, o cartão é tão controlado financeiramente quanto o empréstimo.

Anuidade

Também não há cobrança de anuidade. A anuidade constitui um grande problema para quem se utiliza de cartões de crédito. Por vezes, as taxas são muito altas e acabam fazendo com que o valor da compra não compense o seu pagamento.

No entanto, o cartão de crédito consignado não possui anuidade. Você pode utilizá-lo quantas vezes desejar, e nenhuma tarifação será cobrada além daquela prevista em lei. É importante dizer que a tarifa de 3,0% é a tarifa total, ou seja, não há nenhuma outra cobrança a ser feita.

Saque do cartão de crédito consignado

Assim como com os cartão de crédito convencionais, é possível fazer saques do limite. O valor disponível também é calculado de acordo com a margem consignada e as regras para sua utilização podem variar de acordo com a instituição financeira.

Um empréstimo consignado que não dependesse da margem consignada, perderia sua característica principal e acabaria se transformando em alguma outra coisa. A dica mais interessante talvez seja para que você finalize o empréstimo, libere a margem consignada e então solicite um novo.

Gostou de conhecer um pouco mais sobre as alternativas do empréstimo consignado sem margem? Então, continue acompanhando os outros post do nosso blog e não perca nenhuma novidade que compartilhamos por aqui.