Salário mínimo 2019 para beneficiário do INSS

O salário é a principal forma de retribuição pelo serviço prestado por um trabalhador ao longo de um período. Incluindo pessoas que não estão mais ativas — como é o caso dos aposentados e de alguns beneficiários do INSS.

O salário mínimo é uma fórmula encontrada pelo governo para determinar uma base mínima dessa remuneração. Com isso é possível coibir práticas abusivas e também reduzir as diferenças salariais presentes no mercado de trabalho.

Todos os anos o salário mínimo precisa ser ajustado, levando em consideração os resultados do Produto Interno Bruto (PIB) e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Em linhas gerais, isso significa dizer que o salário mínimo deve cobrir a previsão de inflação sobre os produtos anualmente. Mas, dito isso, qual a interferência destes reajustes sobre os benefícios de aposentadoria ou pensão do INSS?

Para te ajudar a entender melhor sobre o assunto, preparamos este texto com as principais informações sobre o salário mínimo 2019. Continue a sua leitura e tire as suas dúvidas.

Salário mínimo 2018

2018 não começou tão bem quanto esperávamos, afinal, com um reajuste de 1,81%, o salário mínimo foi fixado em R$ 954,00. No momento em que entrou em vigor, o salário obteve um reajuste de apenas R$ 17,00, sendo o seu percentual o menor em mais de duas décadas.

No entanto, as expectativas para 2019 são mais otimistas, embora não represente uma mudança acentuada. Entretanto, em relação ao ano de 2018, os trabalhadores poderão sentir uma pequena diferença mais positiva.

Previsão do salário mínimo para 2019

Em meados deste ano, o governo chegou a elaborar uma proposta inovadora, que foi enviada para análise da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). A expectativa inicial era de que o reajuste válido para 1º de janeiro de 2019 fosse superior a R$ 1 mil.

A proposta avaliava a possibilidade de subir o salário mínimo para R$ 1.002, ultrapassando a casa dos 3 dígitos pela primeira vez na história. Com isso, o aumento seria de R$ 48, uma vez que o salário atual é de R$ 954, como destacamos anteriormente.

Mas, como o projeto foi estabelecido antes do cálculo da inflação, uma alteração na estimativa da inflação culminou na revisão do valor previsto antecipadamente.

Revisão da proposta

A legislação brasileira condiciona o reajuste do salário mínimo baseando-se sempre na observação dos índices do IPCA somada a variação real do PIB dos últimos 24 meses. Isso significa que o salário mínimo 2019 é definido em função do INPC 2018 e o PIB 2017.

Com isso, a estimativa que era de R$ 1.002,00 acabou sendo reduzida para R$ 998,00, conforme avaliação da Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional. Este é o órgão responsável pelo Projeto de Lei que avalia as diretrizes orçamentárias todos os anos.

Relação desses números com aposentados e pensionistas

O governo é o principal responsável pelos benefícios pagos aos beneficiários do INSS. Assim, os valores dos benefícios são baseados no salário mínimo, afinal, os aposentados e pensionistas não podem receber abaixo desse valor.

Portanto, isso se traduz em um custo elevado com os gastos públicos. Dessa forma, a cada R$ 1 real reduzido do salário mínimo, alguns milhões de reais deixam de compor esse custo aos cofres do governo.

O que muda em relação ao empréstimo consignado?

Quem é aposentado e pensionista INSS sabe que conseguir um empréstimo consignado pode ser muito útil em tempos de crise financeira. Essa modalidade de crédito representa as melhores taxas do mercado de empréstimo pessoal.

Todos os anos os reajustes salariais apresentam uma variação levemente superior aos anos anteriores. Com isso, todos os anos a margem de consignação possui uma pequena melhora em relação aos demais. No entanto, vale destacar que isso não altera a margem.

Até o momento não existe nenhuma previsão para que a margem de consignação ultrapasse 30% do valor líquido do benefício. Além disso, os 5% extras que são exclusivos para o uso do cartão de crédito consignado também estão mantidos.

Nova margem – valores

Com a mudança do salário, teremos um pequeno reajuste no comprometimento do salário para arcar com custos de empréstimo e cartão de crédito.

Considerando o valor de R$ 998,00 para o salário mínimo 2019, os aposentados e pensionistas do INSS poderão comprometer até R$ 299,40 com as parcelas dos empréstimos consignados.

Já para as despesas do cartão de crédito consignado, o valor máximo será de R$ 49,90. Ou seja, 5% do novo salário mínimo.

Sabemos que o salário mínimo 2019 ainda não corresponde às necessidades básicas de uma família normal do nosso país. Entretanto, aposentados e pensionistas do INSS podem contar com as facilidades do crédito consignado para auxiliar as suas finanças pessoais.

Nosso blog está disponível para ajudá-los da melhor forma possível, promovendo conteúdos de qualidade e repletos de dicas incríveis. Para continuar aprendendo um pouco mais sobre o assunto, não deixe de visitar os outros artigos do blog.

Além disso, você pode nos enviar uma mensagem com suas dúvidas e sugestões. Basta entrar em contato conosco ou deixar um comentário nesta publicação. Vamos lá?