Prova de Vida: Entenda esse processo do INSS e garanta seu benefício

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) é uma entidade administrativa criada pelo Governo Federal para atender todos os trabalhadores. Ainda, é papel dessa instituição autônoma, organizar e reger todos os assuntos relacionados a benefícios assistenciais como aposentadoria e pensões.

Dessa forma, todos os aposentados e pensionistas do INSS precisam passar por procedimentos para garantir o recebimento do seu benefício. Os sistemas de segurança criados, tem por objetivo reduzir os casos de fraudes ou ainda ter controle sobre pagamento indevidos.

A Prova de Vida do INSS é um procedimento que visa exatamente isso: a segurança dos cidadãos e o pagamento justo do seu benefício. Periodicamente, todos os beneficiários precisam realizar uma Prova de Vida e recadastrar suas senhas de atendimento.

Você é beneficiário e ainda não passou por esse procedimento? Então, continue a leitura deste post e entenda mais sobre o assunto. Vamos te explicar os principais pontos para que você não deixe de receber seu benefício corretamente. Acompanhe!

O que é a prova de vida?

Como o próprio nome já diz, a prova de vida é um mecanismo obrigatório criado pelo Governo Federal para comprovar se o beneficiário está realmente vivo. Esse procedimento é fundamental para que os segurados recebam corretamente o seu benefício.

Além disso, é uma forma de controlar os pagamentos anualmente, evitando fraudes no INSS. Portanto, a prova de vida deve ser feita por todos aqueles que têm pagamentos de benefícios realizados por conta corrente, poupança ou utilizam cartão magnético.

Para que serve a prova de vida do INSS?

Basicamente, esse processo foi criado para evitar que pessoas já falecidas continuem recebendo pelo seu benefício. Assim, o pagamento para pessoas que já morreram é um crime. Por isso, as famílias e os cartórios de registro civil são obrigados a informar sobre o óbito de beneficiários.

Portanto, sempre que acontece o óbito de algum beneficiário, é preciso iniciar o processo de suspensão do benefício. Caso contrário, quem continua recebendo o benefício de forma indevida poderá responder criminalmente e terá de devolver todos os valores atualizados.

Quando o procedimento deve ser realizado?

É comum que as instituições bancárias conveniadas determinem como deverá ser feito o processo de Prova de Vida. A única exigência é que esse procedimento seja realizado todos os anos. Assim, fica a critério das agências a marcação do procedimento.

O que acontece quando não fazemos?

Como explicamos, esse é um processo obrigatório. Portanto, deixar de fazê-lo poderá incorrer na suspensão imediata do seu benefício. Dessa forma, os pagamentos serão interrompidos até que seja feita a devida atualização do seu cadastramento / senha.

Portanto, para não correr o risco de ficar sem receber, é preciso entrar em contato com a sua agência para regularizar sua situação. O quanto antes esse processo for feito, menos problemas terá. Afinal, após um período suspenso ele poderá ser cancelado.

Para obter maiores informações a respeito do recadastramento e ou cancelamento, é necessário entrar em contato com o INSS. Você pode ligar gratuitamente para a central de atendimento por meio do número 135 ou ainda acessar a página da Previdência Social na internet,

Como funciona a prova de vida do INSS?

Em primeiro lugar, o beneficiário deverá se dirigir até sua agência correspondente e apresentar um documento original com foto dentro da validade. No entanto, existem instituições que possuem outros mecanismos de controle, como o cadastro biométrico.

Existem alguns casos que podem inviabilizar a presença do beneficiário na agência bancária para prova de vida. Veja quais são e como fazer em cada um deles:

Dificuldades de locomoção e afins

É comum que aposentados ou pensionistas de idade mais avançada ou estado de saúde frágil encontrem dificuldades. Nesses casos, o INSS disponibiliza um processo de cadastramento de um procurador que será responsável para o fazê-lo.

Assim, com uma procuração, outra pessoa poderá responder e tomar decisões no nome do beneficiário, bem como realizar a prova de vida no lugar dele. Para isso, deve ser seguido todos os procedimentos legais de cadastramento, conforme exigidos pelo INSS.

Residentes no exterior

Aos beneficiários que residem fora do Brasil, é possível receber normalmente o seu benefício. No entanto, para realizar os procedimentos de recadastramento e prova de vida, é preciso seguir alguns passos importantes.

Existem 2 possibilidades: procuração ou via consulado. O procedimento para cadastrar um procurador responsável pelo benefício é o mesmo. Basta acessar a página oficial da instituição e seguir os passos específicos para este fim.

Ou então, o beneficiário deve procurar o consulado brasileiro em seu país de origem, preencher corretamente o Formulário Específico de Atestado de Vida que pode ser acessado clicando “aqui”. Após preenchimento, basta apresentá-lo com a devida comprovação da Repartição Consular Brasileira.

Portanto, a Prova de Vida é um procedimento muito importante que deve ser feito todos os anos para que seu benefício não seja cancelado. Estar atento às datas e as exigência do processo é fundamental para isso.

O que achou das informações que trouxemos neste texto? Se você é aposentado ou pensionista do INSS, conte para nós como foi a sua experiência. Basta deixar o seu comentário logo abaixo.